F.A.Q. | PERGUNTAS FREQUENTES

Achei um coelho, e agora?

Infelizmente o abandono de coelhos em terrenos baldios e até mesmo na rua tem se tornado frequentes. Ao se deparar com um coelho abandonado, a primeira coisa a se fazer é retirá-lo da situação de risco. Você deve verificar se ele está machucado ou se tem alguma lesão aparente, se for esse o caso, ele precisa ser encaminhado imediatamente a atendimento veterinário especializado para tratamento adequado. Medicação prescrita para outros pets, dicas caseiras de amigos e familiares, não são recomendados. Perder tempo buscando conselhos em grupos de redes sociais também não é o caminho. Infelizmente, alguns grupos de coelhos estão cheios de pessoas despreparadas e que acabam passando informações erradas que podem piorar a situação do coelho ou até mesmo colocar sua vida em risco. Você deve também perguntar nos locais próximos de onde encontrou o coelho, para se certificar que ele não tenha fugido.
Se o coelho aparentar estar bem, você deve colocá-lo num local seguro, com água fresca e folhas escuras (nunca dê alface, pode causar diarreia ou cenoura e frutas pois elas contem muito açúcar e podem desencadear um quadro gástrico). Improvise um banheirinho, pode ser um pano num cantinho ou um tapete higiênico (observe se o coelho não vai comer), o contato direto com a urina, causa dermatite. Nunca utilize jornal, pois a tinta é tóxica, nem areia para gato ou serragem, pois causam danos ao sistema respiratório. Assim que possível providencie feno e ração adequada. Se ele estiver muito sujo, você pode utilizar lenço umedecido sem álcool e sem cheiro ou um pano úmido, para tirar o excesso de sujeira. Coelhos são animais extremamente limpos, e fazem sua higiene se lambendo. No novo ambiente, em pouco tempo ele estará limpinho e cheiroso. NÃO dê banho no coelho! Eles se sentem vulneráveis quando submersos na água e podem ter um ataque cardíaco. Além disso, o banho deixa a pele ressecada e se não ficar bem seco, a umidade pode causar dermatite. Você pode obter mais informações de como cuidar do coelho aqui no nosso site: é só clicar no nosso link “TUDO SOBRE COELHOS”. Se a sua intenção for ficar com o coelho, além de acessar o link citado anteriormente para obter informações, você pode tirar suas dúvidas conosco em nossas redes. Se você não quer ou não pode ficar com ele, sugerimos que poste a adoção em grupos de coelhos, lembrando que nas nossas redes sociais, divulgamos a adoção somente de coelhos sob nossa tutela. Converse com os interessados para saber se possuem conhecimento sobre coelhos e se tem um local adequado e seguro para o coelho. Podemos ajudar enviando nosso “formulário de adoção modelo”. Neste caso, por favor solicitar o “formulário de adoção modelo” através do e-mail falecomogac@gmail.com.

Quero doar meu coelho, o que eu faço?

Nós sentimos muito pelo coelho quando este tipo de situação acontece. O GAC resgata e acolhe coelhos em situação de risco de vida e negligência, e temos nossa escala de prioridades. Infelizmente, não temos condições de resgatar ou acolher todos, já que nossos recursos e lares temporários são limitados.

Antes de tudo, pense no motivo pelo qual está doando seu coelho e se realmente não há uma solução. Tutores responsáveis não abandonam!

Se quiser realmente doar seu orelhudo, recomendamos que procure um tutor responsável que queira adotá-lo(a). Você pode fazer esta procura através de grupos de redes sociais, tais como “meu pet é um coelho” e similares. Note que em nossa página só divulgamos adoção de coelhos que estão sob nossa tutela. Se desejar, nós temos um formulário modelo com perguntas padrões para a seleção de tutores responsáveis e podemos te enviar. Neste caso, por favor solicitar o “formulário de adoção modelo” através do e-mail falecomogac@gmail.com.

Meu coelho está doente, qual medicamento/tratamento são indicados?

Não somos um grupo de médicos veterinários e ainda que fôssemos, prescrever medicação e/ou tratamento sem examinar o paciente, além de ser uma atitude irresponsável, não é a conduta correta. Se o seu coelho apresentou alguma mudança de comportamento, ele precisa ser levado imediatamente a um médico veterinário especializado. Os coelhos são presas na natureza, e por isso, escondem muito os sintomas como dor e desconforto. Então quando você notar qualquer alteração no comportamento do seu orelhudo, quer dizer que ele já está “doente” há algum tempo. Nunca medique por conta própria ou dê medicação prescrita para um outro animal, pois muitos medicamentos são tóxicos para os coelhos. Não perca tempo buscando ajuda na internet ou em grupos de coelhos. Nem toda informação passada está correta e pode levar seu coelho a uma piora do quadro clínico ou até mesmo a morte. Seja um tutor consciente e responsável, procure sempre ajuda de um profissional qualificado!

Meu coelho está doente e não tenho dinheiro pra pagar veterinário. O GAC pode me ajudar?

Nós somos um grupo que resgata e acolhe coelhos negligenciados ou em situações de risco. O GAC não tem fins lucrativos e não recebe nenhuma ajuda do governo. Nós só conseguimos ajudar os coelhos graças a doações de nossos padrinhos, seguidores, e da venda de nossos produtos.

Infelizmente, não conseguimos ajudar no pagamento de tratamento veterinário de coelhos que já tenham tutores. Neste caso, recomendamos que organize uma rifa ou vaquinha online para levantar fundos para pagar o tratamento de seu coelho.

Devo castrar meu coelho(a)? Onde posso realizar este procedimento?

Sim, com certeza! A castração é um procedimento padrão relativamente simples que tem inúmeras vantagens, tais como: melhora o comportamento do coelho; previne câncer no sistema reprodutivo de fêmeas e machos, evita o estresse da fêmea por gravidez psicológica, aumentando assim o tempo de vida do animal; evita a cria descontrolada e superpopulação; e possibilita a adaptação com outros coelhos.

Recomendamos que procure um veterinário especializado em animais exóticos de confiança para realizar a cirurgia. Nós do GAC podemos recomendar algumas clínicas que são parceiras nossas, tais como Exotic Pets e SELVA (ambas em São Paulo), e Hospital Taquaral e Amazoo (Campinas e Jundiaí).

Quero um(a) companheiro(a) para meu coelho(a). Como faço?

Coelhos geralmente são criaturas sociáveis, então a maioria gosta de ter um companheiro/a. No entanto, é necessário fazer uma adaptação entre eles, a fim de evitar possíveis brigas.

O principal pré-requisito para a adaptação entre coelhos é que TODOS sejam castrados. A castração controla a produção de hormônios sexuais, melhorando assim o comportamento do coelho e permitindo a convivência entre eles. Além disso, a castração evita a cria descontrolada e também previne câncer no sistema reprodutivo.

Dito isso, uma vez que os coelhos já tenham sido castrados há mais de um mês (tempo que demora para o controle dos hormônios após a castração), tem todo um processo para que a adaptação entre os coelhos seja feita de maneira correta. Por favor, para saber mais como o processo de adaptação entre coelhos funciona, clicar no link “ADAPTAÇÃO” em nosso site.

Vou me mudar de casa. Qual a melhor forma de trazer o meu coelho comigo sem estressá-lo(a)?

Primeiramente, lembrem-se que coelhos são presas e se assustam facilmente. Então daremos algumas dicas de como fazer uma mudança evitando o estresse para seu orelhudo.

Mantenha seu coelho em um cômodo ou cercado enquanto você empacota e transporta seus pertences e móveis, evitando assim acidentes e o privando de muito barulho e bagunça.Outra opção para não estressar seu coelho no dia da mudança, é deixa-lo na casa de algum familiar ou amigo que ele já conhece, ou até mesmo num hotelzinho de sua confiança. Em relação ao transporte do coelho, deve ser feito em caixa de transporte forrada com tapete higiênico. Se a distância for longa, não se esqueça de levar feno, água e umas verduras. Idealmente, o coelho deve estar sempre na companhia de seu tutor.

Recomendamos que na casa nova, mantenha a mesma conformação do lar anterior, isto é, posição do banheirinho, potes com feno, caixas, caminhas etc. devem ser as mesmas. Isto facilita que o coelho reconheça seu local mais facilmente. Neste caso, nossa sugestão é que o coelho seja solto em seu espaço somente após o mesmo estar organizado. No começo (pelo menos por algumas horas), é melhor restringir o espaço dele. Só deixar o orelhudo explorar a casa toda quando perceber que ele já está se sentindo à vontade no novo local. Não se esqueça de adaptar sua nova casa: proteja fios e móveis.

E é claro, dê muito carinho para ele durante todo este processo de mudança. Certamente isso o fará se sentir mais seguro! Ah, e não se esqueça de pesquisar por veterinários de animais exóticos por perto do novo local. O mais importante de tudo é: nunca deixe seu pet pra trás. Afinal, ele faz parte da família! Seja responsável e consciente!

Vou me mudar para uma casa/apartamento menor. O que fazer com meu coelho?

Muitas pessoas se preocupam muito quando precisam se mudar para um espaço menor e têm medo de seu coelho não se adaptar no novo local. No entanto, coelhos são criaturas sociáveis que, com o tempo, aprendem a confiar e amar seu tutor. Ou seja, mesmo que a área do seu orelhudo seja reduzida, ainda assim a melhor opção pro coelho é sempre ao lado do tutor. Desde que o coelho tenha um espaço (mesmo reduzido) confortável onde consiga correr e brincar, e que caiba suas coisinhas (potes de água e comida, caixa/suporte com feno, bandeja onde ele faça as necessidades e caminha), está tudo bem! Se o coelho for livre pra explorar a casa toda, melhor ainda! Caso o orelhudo fique confinado em cercados ou condomínios, não se esqueça de soltá-lo ao menos duas horas por dia para brincar e correr livremente. Para ter ideias de cercados e condomínios, clique no nosso link “TUDO SOBRE COELHOS à Fatores a se considerar à Como proteger a sua casa”. Temos certeza que com amor e paciência, o coelho irá se adaptar rapidinho no novo local.

Descobri que sou alérgica ao meu coelho (ou algum familar é). E agora?

Já vimos muitos casos de pessoas descobrirem que são alérgicas a coelhos após adotá-los. Ou então algum familiar que é. Primeiramente, queremos deixar bem claro que isso não é motivo para doar seu coelho. Alguns procedimentos simples podem ser adotados para prevenir o mau-estar causado pela alergia, tais como: restringir o espaço do coelho em um cercado ou cômodo, evitando assim que ele espalhe pelos pela casa toda o tempo todo (ATENÇÃO: coelhos devem ser soltos para brincar pela casa ao menos duas horas por dia); não deixar que seu coelho entre no quarto, pois quando dormimos nosso corpo está mais “susceptível” a crises alérgicas; lavar bem as mãos e braços após agradar o coelho, ou até mesmo trocar de roupa; usar máscaras de proteção quando for limpar seu espaço e tirar os pelos do local; aspirar a casa com mais frequência. Além disso, recomendamos que procure um médico especialista para te orientar sobre os tratamentos disponíveis, tais como uso de remédios anti-alérgicos ou anti-histamínicos, descongestionantes ou sprays nasais, e até mesmo imunoterapia.

Vou ter um filho, o que eu faço com o meu coelho?

Seu coelho também é um membro da família, ao qual o bebê e a rotina da casa terão que se adaptar. Dificilmente crianças que já nascem em lares com animais de estimação terão alergia deles. Mas caso seu bebê tiver alergia, veja nossas dicas em “Descobri que sou alérgica ao meu coelho (ou algum familiar é). E agora?”. Outra preocupação é que o bebê, ao começar engatinhar, possa acidentalmente ingerir as fezes do coelho. O cuidado aqui é o mesmo adotado com objetos pequenos pelo chão: evitar que fiquem ao alcance da criança. Nesse período, os brinquedos começam a ficar espalhados pela casa. Tome cuidado para seu coelho não ingerir alguma peça pequena e se engasgar ou roer algum material tóxico. A convivência com o amiguinho de 4 patas irá estimular o desenvolvimento cognitivo e social do seu bebê. Além disso, ainda proporcionará memórias afetivas que ele irá se recordar o resto da vida.

Posso dar capim fresco pro meu coelho ao invés de feno?

Você pode sim oferecer capim fresco para seu coelho, à vontade. Capim fresco é uma ótima fonte de fibra, assim como o feno. No entanto, o capim fresco não substitui completamente o feno, pois o feno (que é o capim seco) também promove o desgaste dos dentes. Os dentes de coelhos nunca param de crescer, devendo ser gastos com frequência para evitar o crescimento demasiado e possíveis complicações. Então não deixe de oferecer feno para seu orelhudo!

Como faço para denunciar maus-tratos em SP?

Maus-tratos e abandono animal é considerado CRIME. Denúncias podem ser feitas presencialmente em qualquer delegacia do estado de São Paulo, ou através do Disque Denúncias (181). Em caso de emergências, ligue para 190.

Alguns órgãos que também poderão te ajudar são:

  • PM – Policiamento Ambiental do Estado de São Paulo

denuncia.sigam.sp.gov.br ou ambientaldenuncias@policiamilitar.sp.gov.br

  • DEPA – Delegacia Eletrônica de Proteção Animal, 0800 600 6428
  • IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente, 0800 61 8080 ou ibama.gov.br/denuncias

Gostaria de visitar o GAC. Vocês têm sede física?

Nós não temos uma sede física. A maioria de nossos voluntários são de São Paulo e Campinas, e nossos coelhos são mantidos em lares temporários até o momento da adoção

Eu não moro na região metropolitana de São Paulo ou em Campinas. Posso adotar um coelho mesmo assim?

Sim, desde que você se comprometa a buscar o coelho. No entanto, se você reside em outro estado, nós recomendamos que procure coelhos para adoção em sua região, já que o transporte a longa distância pode ser muito estressante para o animal.